Estatais caem forte após governo fechar acordo com caminhoneiros

mai 28, 2018

Investing.com - A crise deflagrada nos últimos dias com a greve dos caminhoneiros serviu para tirar a confiança dos investidores no mercado local de ações, atingindo principalmente os papéis das companhias estatais, como a Petrobras (SA:PETR4), Eletrobras (SA:ELET3) e Banco do Brasil (SA:BBAS3), que estão entre as maiores perdas do Ibovespa na manhã desta segunda-feira.

As ações da Eletrobras já vinham acumulando perdas desde que a MP que trata da privatização da elétrica saiu da pauta do governo, com a situação se agravando com a greve dos caminhoneiros. A visão do mercado é que no atual cenário está cada vez mais improvável conseguir encaminhar a capitalização da companhia. Diante disso, as ações ON caem 3,59% a R$ 14,52, enquanto as PNB recuam 4,43% a R$ 17,27. Em uma semana, a desvalorização supera os 15%.

Com a Petrobras a dúvida do mercado está em relação à continuidade da política de preços da estatal, bem como a forma que será compensada pelo governo pela concessão do desconto de R$ 0,46 no preço do diesel. Além disso, o governo decidiu manter os preços congelados pelos próximos 60 dias e somente reajustar o preço do combustível a cada 30 dias. Para muitos economistas, na prática, a decisão do governo é uma mudança na política de preços da estatal.

Diante disso, as ON da estatal recuam 8,60% a R$ 21,05, enquanto as PN perdem 8,28% a R$ 18,16. Já os ativos da BR Distribuidora (SA:BRDT3) caem 7,08% a R$ 17,33.

Já as perdas com as ações do Banco do Brasil nesta segunda-feira chegam a 4,62% a R$ 28,68, mas pode ser relativizada ao analisar que os papéis dos bancos privados também registram perdas na sessão.