Criptomoedas mistas, Procurador Geral NY chama câmbio digital de vulnerável

set 19, 2018

Criptomoedas estavam sem direção definida nesta quarta-feira, com a declaração do Procurador Geral do Estado de Nova York, de que o mercado de moeda digital é vulnerável à manipulação.

O Bitcoin recuava 0,38% para US$ 6.301,80 na bolsa Bitfinex, às 9h44.

As criptomoedas operavam em baixa, com o valor de capitalização de mercado total em US$ 196 bilhões no momento da redação dessa matéria, em comparação com US$ 197 bilhões na terça-feira.

O Ethereum, ou ether, a segunda maior moeda alternativa por valor de mercado, caiu 0.68%, para US$ 206,50. O XRP, a terceira maior moeda virtual, aumentou 3,64% para US$ 0,31754 e a Litecoin ficou em US$ 52,803, uma queda de 1.23%.

De acordo com o relatório da Procuradoria Geral do Estado de Nova York, as trocas virtuais de moedas são vulneráveis ​​à manipulação do mercado e carecem de proteção ao consumidor.

De acordo com o relatório de 32 páginas, alega que as bolsas estão fazendo pouco para proteger os investidores.

"A indústria ainda necessita implementar capacidades sérias de vigilância de mercado, semelhantes às dos locais tradicionais de negociação, para detectar e punir atividades comerciais suspeitas", afirmou o relatório.

Em outras notícias, um grupo de bancos e grandes empresas comerciais estão lançando a primeira plataforma baseada em blockchain para financiar o comércio de commodities.

O empreendimento, que inclui o BNP Paribas (PA:BNPP), o Citi, o ING e o MUFG Bank, será chamado komgo SA sediado em Genebra. Espera-se que seja lançado até final do ano e permitirá que os investidores usem uma carta de crédito digital em vez de usar documentos, acelerando o processo de transação.

"O lançamento da komgo SA destaca uma visão compartilhada para a inovação da indústria e ressalta o compromisso contínuo entre os membros para construir uma rede verdadeiramente aberta e mais eficiente no comércio de commodities", disse Souleima Baddi, diretora executiva da komgo SA.

Espera-se que a empresa primeiro use a tecnologia para o comércio de energia, depois amplie para a agricultura e os metais.