Cotação do petróleo se recupera após 4 semanas seguidas de perdas

jul 30, 2018

A cotação do petróleo estava em alta nesta segunda-feira, recuperando-se após a quarta perda semanal consecutiva na semana passada, em meio a evidências emergentes de excesso de oferta, com algumas operações a preços mais baixos em meio a uma confluência de fatores de alta.

Os contratos futuros de petróleo bruto WTI, negociados em Nova York, tinham ganhos de US$ 1,39, ou cerca de 2,02%, e eram negociados a US$ 70,08 o barril às 12h04.

Além disso, o petróleo Brent, referência para preços do petróleo fora dos EUA, avançava US$ 0,75 ou 1,00%, para US$ 75,51.

Em meio a sinais pessimistas recentes, o ministro da energia da Rússia, Alexander Novak, indicou na sexta-feira que uma coalizão de produtores poderia injetar mais petróleo do que o acordado no final do ano, uma medida que poderia sinalizar a possível morte de um acordo de produção da Opep.

Ao fazer comentários nos bastidores da cúpula dos BRICS em Johanesburgo, na África do Sul, Novak disse que "não descartou ... um aumento na produção de petróleo superior a 1 milhão de barris por dia pode ser discutido".

Em outro sinal preocupante, a contagem de sondas nos EUA, um indicador precoce da produção futura, teve aumento de 3 e totalizou 861 na semana passada, de acordo com a Baker Hughes, empresa prestadora de serviços a campos petrolíferos.

Foi o primeiro aumento na contagem de sondas em três semanas, o que indica sinais de crescimento da produção dos EUA.

No entanto, ajudando a compensar essas preocupações de fornecimento, uma greve de trabalhadores de 12 horas nas plataformas do Mar do Norte da Total começou na segunda-feira com paralisações de 24 horas marcadas para 6 e 20 de agosto. As plataformas representam cerca de 10% da produção de gás do Reino Unido.

Novas interrupções de produção na Líbia, novas quedas na produção venezuelana e as iminentes sanções dos EUA contra o Irã, todas serviram para levantar o espírito dos touros, uma vez que diminuíam as preocupações com qualquer aumento de produção.

Em outras negociações de energia, os contratos futuros de gasolina avançavam 0,10% para US$ 2,1150 o galão às 12h06, ao passo que o óleo de aquecimento tinha alta de 0,56% e era negociado a US$ 2,1716 o galão.

Os contratos futuros de gás natural avançavam 0,58%, para US$ 2,798 por milhão de unidades térmicas britânicas.