Cotação do petróleo perto da máxima de 4 anos, em meio a escassez de oferta

set 27, 2018

A cotação do petróleo flutuava perto do patamar de US$ 82 por barril nesta quinta-feira, perto das altas de quatro anos alcançados no início da semana, em meio a temores de uma escassez de oferta, com os EUA preparando-se para voltar a impor sanções ao Irã a partir de 4 de novembro.

Contratos futuros de Brent, negociados em Londres, subiam 0,71% para US$ 81,36 por barril em relação ao último fechamento, às 08h51, mantendo-se abaixo da alta de US$ 82,55 alcançada nesta terça-feira, a maior desde novembro 2014

Os preços do petróleo bruto elevavam 0,3% sendo negociados a US$ 72,06, valor não muito distante dos US$ 72,75 alcançados na terça-feira, o mais alto desde 11 de julho.

A iminente perda de oferta do Irã fez com que os preços do petróleo subissem, e a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e não membros da OPEP, incluindo a Rússia, possuem pouca capacidade ociosa para impulsionar a produção, a fim de compensar a queda da oferta global.

O Irã é o terceiro maior produtor da OPEP.

O presidente americano Donald Trump criticou nesta terça-feira a OPEP devido a sua recusa em aumentar a produção de petróleo, dizendo às Nações Unidas que os membros da OPEP estavam "como de costume, saqueando o resto do mundo".

Em seu discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, Trump disse que os EUA "não irão vai mais tolerar... esses preços abusivos por muito mais tempo ”.

Trump também solicitou que outros países ajudem a pressionar o regime de Teerã, cortando as importações de petróleo do Irã.

Enquanto os mercados globais estão retraindo o aumento da produção doméstica, os EUA continuam com oferta abundante.

Em seu relatório semanal emitido nesta quarta-feira, a Administração de Informação de Energia (EIA, sigla em inglês) comunicou que a produção de petróleo americano bateu um recorde de 11,1 milhões de barris por dia na semana passada.

Os estoques de petróleo aumentaram inesperadamente em 1,85 milhão de barris na semana passada, em comparação com as expectativas de uma queda de 1,27 milhões de barris.

Em outros negócios de energia, os futuros de gasolina subiram 0,37%, para US $ 2,0621 por galão, enquanto o óleo de aquecimento subia 0,66%, para US$ 2,3188 o galão.