Cotação do ouro cai enquanto comércio global permanece em foco

mai 21, 2018

Investing.com - A cotação do ouro reduzia as perdas na metade da manhã desta segunda-feira, com investidores avaliando mensagens contraditórias em relação ao comércio dos EUA.

Às 11h33, contratos futuros de ouro com vencimento em junho na divisão Comex da Bolsa Mercantil de Nova York recuavam US$ 3,70, ou cerca de 0,3% para US$ 1.287,60 a onça troy, acima da mínima intradiária de US$ 1.281,20.

A China e os EUA concordaram durante o fim de semana em suspender as tarifas de importação punitivas uma vez que negociadores estabeleceram uma estrutura para lidar com desequilíbrios comerciais.

De acordo com Steven Mnuchin, secretário do Tesouro dos EUA, a guerra comercial com a China agora está suspensa, reduzindo a demanda por ativos considerados portos seguros. "Estamos suspendendo a guerra comercial. Neste momento, concordamos em suspender as tarifas enquanto tentamos agir conforme a estrutura", disse Mnuchin.

Mnuchin disse à CNBC na segunda-feira que as negociações até agora já renderam benefícios tangíveis. "Acredito que fizemos um progresso muito significativo ", afirmou. "Agora cabe a nós garantir que possamos implementá-lo."

Embora o acordo signifique que ambos os lados evitarão bilhões de dólares em tarifas diretas, a China ainda precisa concordar em reduzir o déficit comercial apesar da exigência do presidente Donald Trump de que a segunda maior economia do mundo reduza o superávit comercial em US$ 200 bilhões.

No entanto, Trump afirmou que a China concordou em comprar "enormes quantidades de produtos agrícolas adicionais".

Enquanto a ameaça de tarifas entre os EUA e a China era interrompida, outras questões comerciais pareciam longe de serem resolvidas, tirando o ouro da mínima intradiária.

Mike Pompeo, secretário de Estado dos EUA, ameaçou na segunda-feira impor as "mais fortes sanções na história" contra o Irã se a liderança do país não mudar o curso de sua política externa e interna.

Enquanto isso, Mnuchin admitiu na segunda-feira que as principais questões permaneciam em negociações entre os Estados Unidos, México e Canadá para renegociar o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (NAFTA, na sigla em inglês).

Em uma sessão sem grandes relatórios econômicos norte-americanos a serem divulgados nesta segunda-feira, participantes do mercado irão se concentrar em uma série de aparições públicas de decisores do Federal Reserve para avaliar os planos de endurecimento da política monetária.

Raphael Bostic, presidente do Fed de Atlanta, Patrick Harker, presidente do Fed de Filadélfia, e Neel Kashkari, presidente do Fed de Mineápolis, irão realizar discursos na tarde desta segunda-feira.

Dito isto, o foco desta semana estará, sem dúvida, sobre Jerome Powell, presidente do Fed, que participará de um painel de discussão sobre "Estabilidade financeira e transparência de Bancos Centrais" na conferência Sveriges Riskbank em Estocolmo, na Suécia, na sexta-feira.

Os mercados estão atualmente precificando um aumento de taxa na próxima reunião do Fed em June 12-13, no que seria o segundo movimento na taxa deste ano. A incerteza está em saber se haverá um quarto aumento em dezembro, com as apostas atualmente pairando acima do limite de 50%.

Taxas de juros mais altas tendem a pesar na demanda pelo ouro, que não rende juros, em favor de investimentos que possuem rendimentos.

Quanto a outros metais, contratos futuros da prata permaneciam estáveis em US$ 16,455 a onça troy por volta das 11h34.

Contratos futuros de paládio tinham alta de 1,1% e eram negociados a US$ 970,40 a onça. Já a platina recuava 0,1% para US$ 885,80.

Em metais de base, o cobre avançava 0,9% para US$ 3,091 a onça.