Cotação do ouro cai devido à força do dólar

mai 08, 2018

Investing.com - A cotação do ouro estava em baixa nesta terça-feira, já que o fortalecimento do dólar norte-americano continuava a agir como um obstáculo para o metal precioso.

Os contratos futuros de ouro com vencimento em junho na divisão Comex da Bolsa Mercantil de Nova York recuavam US$ 1,90, ou 0,14%, para US$ 1.312,20 a onça troy por volta das 05h31.

Na semana passada, os preços caíram para seus níveis mais baixos em dois meses e registraram um terceiro declínio semanal consecutivo.

O índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, subia 0,3% e chegava a 92,89, nível mais alto do ano.

Um dólar mais forte tende a prejudicar a demanda por ouro e outras commodities cotadas em moeda dos EUA, tornando-as mais caras para compradores estrangeiros.

O aumento dos rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA e dados econômicos sólidos impulsionaram o dólar nas últimas semanas, reforçando as expectativas de um ritmo constante de aumento da taxa de juros pelo Federal Reserve neste ano.

O banco central projetou mais dois aumentos para o ano, mas alguns investidores esperam mais três.

A declaração do Fed da semana passada reconheceu uma recente recuperação da inflação, deixando a instituição no caminho para realizar seu segundo aumento no ano em sua reunião em junho.

Expectativas de um ritmo mais acelerado de aumentos de juros tendem a ser ruins para o ouro, que luta para competir com ativos com maior rendimento quando as taxas de juros sobem.

Os investidores estavam de olho nos acontecimentos geopolíticos antes do anúncio do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre o futuro do acordo nuclear internacional com o Irã, que ele tem repetidamente ameaçado se retirar.

Em outras negociações de metais preciosos, contratos futuros de prata recuavam para US$ 16,48 a onça troy, ao passo que contratos futuros de platina estavam em baixa de 0,35% e eram negociados a US$ 910,10.

Entre metais de base, os contratos futuros de cobre subiam 1,17% e eram negociados a US$ 3,044 a libra.