Com turbulência, títulos da dívida da Petrobras se aproximam dos da argentina YPF

jun 04, 2018

Investing.com - A instabilidade que atingiu a Petrobras (SA:PETR4) desde o início da greve dos caminhoneiros, que levou a demissão de Pedro Parente na última sexta-feira, fez com que os títulos da dívida da estatal registrassem perdas expressivas na abertura de junho. De acordo com a Coluna do Broad, do Estadão, o resultado foi tão negativo que encurtou a distância de alguns dos papéis em relaçã aos da petroleira argentina YPF.

Segundo a publicação, o bônus de 2027 da estatal brasileira teve queda de 2% o que levou a redução do prêmio do papel entre as duas empresas para apenas 40 pontos base. Esse prêmio representa justamente o apetite do investidor pelo ativo.

A coluna lembra que o país vizinho foi recentemente alvo de um ataque especulativo de investidores, levando a uma forte valorização do dólar no país vizinho. No entanto, o mercado de dívida externa estava fechado quando surgiram as primeiras notícias da escolha do novo presidente da Petrobras na sexta-feira.

O presidente Michel Temer indicou na sexta-feira o engenheiro Ivan Monteiro como novo presidente-executivo da Petrobras, no lugar a Pedro Parente, que pediu demissão nesta manhã, em meio a ataques à política de preços da estatal.

A rápida definição buscou acalmar investidores após as ações da Petrobras caírem quase 15 por cento com a saída de Parente, atribuída a uma possível interferência do governo na estatal. O movimento das ações representou uma perda de valor de mercado de cerca de 45 bilhões de reais para a estatal

Com Reuters.