Com privatização cada vez mais distante, Eletrobras recua mais de 5%

jun 07, 2018

Investing.com - A privatização da Eletrobras (SA:ELET3) já era considerada um desafio desde as primeiras notícias dos planos do governo de Michel Temer. Com o agravamento da crise nos últimos meses, a realidade está cada vez mais distante, principalmente pelos efeitos da greve dos caminhoneiros e a aproximação das eleições.

Nesta quinta-feira, as ações perdem 5,80% a R$ 13,47, sem nenhuma notícia específica sobre a companhia. No entanto, a forte volatilidade nos mercados, com a fuga de recursos da bolsa em um ambiente de aversão ao risco, a possiblidade de continuidade da proposta é quase nula.

O Tribunal Regional do Trabalho 1ª Região determinou que a Eletrobras suspenda o processo de privatização de suas distribuidoras de eletricidade que atuam no Norte e Nordeste até a realização de estudos sobre o impacto da medida sobre contratos de trabalho nas empresas.

A decisão, em tutela de urgência, vem após ação movida por sindicatos de trabalhadores e ameaça dificultar ainda mais os planos da Eletrobras e do governo federal de realizar a licitação das distribuidoras até o final de julho e concluir a privatização da companhia como um todo ainda neste ano.

O processo de privatização da Eletrobras já tem sofrido atraso devido à não aprovação pelo Congresso Nacional de uma medida provisória (MP 814) vista como importante para reduzir incertezas sobre passivos das distribuidoras. Agora, as mudanças legislativas previstas na matéria foram encaminhadas à Câmara dos Deputados por meio de um projeto de lei na última semana, mas ainda não há prazo previsto para votação.

Com Reuters.