Com lucro 152% maior, ações do Magazine Luiza disparam na B3

mai 08, 2018

Investing.com - Após a divulgação do resultado do primeiro trimestre de 2018, as ações do Magazine Luiza (SA:MGLU3) operam com forte valorização de 8,15% a R$ 104,61 no início da manhã desta terça-feira na B3. O grupo varejista teve lucro líquido de R$ 147,5 milhões no período, o que representa um salto de 152% em relação a igual período de 2017.

Já o resultado operacional da companhia medido pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) avançou 29,6% no comparativo anual, para R$ 300,5 milhões. A margem Ebitda ficou estável em 8,3%.

Para a XP Investimentos, os números do Magazine Luiza foram fortes r, com lucro líquido 23% acima do consenso e 2,5 vezes superior ao mesmo período do ano passado. O principal driver da performance, de acordo com a corretora, foi o crescimento do e-commerce e manutenção da margem EBITDA.

As vendas mesmas lojas cresceram 16% ano contra ano, enquanto as vendas lojas físicas totais cresceram 21%. As vendas do e-commerce cresceram 65%, contra expansão de 58,5% no primeiro trimestre do ano passado, indo de 29% de representatividade no total de vendas para 35%.

O Banco do Brasil (SA:BBAS3) Investimentos (BB-BI) já esperava pelo resultado robusto na primeira linha do balanço, estimando aumento das vendas de 17,9% na comparação anual devido à expansão de 31% no canal de e-commerce e também pelo avanço no desempenho de vendas nas mesmas lojas, de +11,6% comparado com o mesmo trimestre do ano passado.

Os analistas destacam que o desempenho foi apoiado por um contínuo aumento no tráfego de pessoas dentro das lojas e maior taxa de conversão de vendas nas vendas online. Com a maior participação do canal de e-commerce na receita líquida, aposta era que a margem bruta caísse 30 pontos base na comparação anual, para 29,4%.

O BB-BI esperava queda de 20 pontos base ano na margem Ebitda ajustada para 7,7%.

Para a última linha do balanço, a aposta do banco era de que, com a queda das despesas financeiras (45,3% na base anual) o lucro seria impulsionado em 130 pontos base na margem liquida.

Com Reuters.