Com custos mais altos no trimestre, ações da Hapvida caem mais de 4% na bolsa

ago 14, 2018

Na tarde desta terça-feira na bolsa paulista, as ações da opera de plano de saúde, Hapvida (SA:HAPV3), operam com forte queda de 4,15% a R$ 25,88, após a divulgação do balanço do segundo trimestre do ano.

A companhia encerrou o período com lucro líquido de R$ 432,9 milhões ante R$ 377,7 milhões um ano antes, mas crescimento de despesas. Conforme dados divulgados ontem, a receita líquida subiu quase 20%, mas os custos totais tiveram aumento de 23,5%. O número de beneficiários nos planos de saúde aumentou 7,2%, para 2,28 milhões, enquanto o ticket médio nesse segmento subiu 12,4%.

A equipe do BTG Pactual (SA:BPAC11) avaliou que o resultado foi fraco, sem grandes supressas. Eles destacaram o crescimento de membros nos planos de saúde e aumento do ticket médio, mas citaram aumento de despesas gerais e administrativas acima do esperado, principalmente em razão de despesas com pessoal.

Apesar do avanço da receita, a empresa reportou queda do lucro líquido devido ao aumento da sinistralidade, para 60,8%, e de aumento das despesas tributárias e operacionais. De acordo com a companhia, esse crescimento veio com o maior volume de atendimentos relacionados às viroses, efeito de aspectos climáticos como mudança no volume e distribuição do regime de chuvas entre os meses com maior precipitação nas regiões Norte e Nordeste.