Carrefour avança mais de 3% com atacarejo puxando resultado trimestral

jul 26, 2018

As ações do Carrefour Brasil (SA:CRFB3) operam com valorização de 3,31% a R$ 15,60, reagindo positivamente ao balanço do segundo trimestre. O lucro líquido de R$ 440 milhões período representa alta de 47% em relação ao mesmo período de 2017

O desempenho foi apoiado em expansão das vendas da rede de atacarejo Atacadão e nos efeitos causados pela queda da dívida do grupo e dos juros da economia.

O resultado mostrou semelhanças com a principal rival, o grupo GPA (SA:PCAR4), que na véspera divulgou lucro líquido de segundo trimestre quase cinco vezes maior que um ano antes, com forte expansão na receita de operações de atacarejo e ganhos com reversões de provisões tributárias.

A XP Investimentos ressalta que o EBITDA consolidado ficou acima do consenso, de R$ 934 mi (+13% no ano), resultado impulsionado pelo desempenho do Atacadão e pela operação financeira.

O EBITDA do Atacadão teve crescimento sólido de quase 20% na comparação anual, apresentando ganho de margem de 0,7 p.p. Já a operação de varejo apresentou queda de aproximadamente 38% no EBITDA e margem 2,4 p.p. menor na comparação anual, impactada pelo efeito base da Páscoa e pela greve dos caminhoneiros.

Para analistas do Santander Brasil (SA:SANB11), o balanço foi ligeiramente positivo, conforme os números da divisão Atacadão vieram acima do esperado, enquanto o Carrefour varejo foi o destaque negativo como previsto, com Banco Carrefour apresentando um desempenho muito forte, conforme nota distribuída a clientes.

"Dados de crescimento de vendas de mesmas lojas também trouxeram sinais encorajadores, com uma aceleração sequencial no Atacadão e dados estáveis no Carrefour varejo após ajustes", escreveu a equipe do Santander.

A Coinvalores avalia que a companhia reportou bom desempenho mesmo tendo sofrido com a deflação de alimentos e com a greve dos caminhoneiros. Apesar disso, as vendas mesmas lojas do consolidado do grupo ficaram 3,4% maiores (ex-gasolina) no período em análise.

Além do resultado a companhia também anunciou pagamento de juros sobre capital próprio, no valor de R$ 0,05214 por ação (valor líquido de imposto). Farão jus ao pagamento os acionistas posicionados em 1° de agosto, com o pagamento a ser realizado no dia 22 de agosto. Yield é de apenas 0,37%.