Carney solicitado a ficar na presidência do Banco da Inglaterra por mais um ano

ago 28, 2018

Mark Carney, presidente do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), teria sido solicitado a permanecer no comando do banco central por mais um ano, a fim de lidar com as consequências da saída do Reino Unido da União Europeia.

O Evening Standard informou que o Tesouro do Reino Unido quer que Carney permaneça até 2020, a fim de proporcionar continuidade durante a turbulência do Brexit em meio à dificuldade em encontrar um substituto adequado.

Carney, que começou no comando do BoE em 2013, originalmente teria um mandato de cinco anos, mas estendeu esse prazo até junho de 2019, quando o Reino Unido votou pela saída da União Europeia.

"Ao assumir o meu mandato, além do período esperado do processo do Artigo 50, isso deve contribuir para garantir uma transição ordenada para o novo relacionamento do Reino Unido com a Europa", explicou ele na época.

O Reino Unido sairá oficialmente da União Europeia em 29 de março de 2019.

Após a matéria do jornal, a Reuters disse que um porta-voz do Tesouro britânico "não reconhece" a informação e disse que nenhuma mudança foi feita nos planos de busca por um substituto.

A libra já estava sob pressão na terça-feira, atingindo a mínima de um ano em relação ao euro em meio a temores contínuos em relação ao Brexit sem acordo.

O par EUR/GBP chegou a 0,9076 e avançava 0,11% em 0,9071, já que os mercados do Reino Unido rebriram após um fim de semana prolongado por um feriado em meio a manchetes mais negativas no Brexit.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou que um Brexit sem acordo "não seria o fim do mundo", já que ela tentou subestimar uma advertência do chanceler Philip Hammond na semana passada sobre o estrago que um Brexit sem acordo faria à economia britânica.