BTG reitera recomendação de compra e preço-alvo de Klabin em R$ 27,00

out 18, 2018

Em nota enviada a clientes nesta quinta-feira, o BTG Pactual (SA:BPAC11) reiterou a recomendação de compra para as ações da Klabin (SA:KLBN11), entendendo que a companhia é uma boa opção devido sua baixa exposição a produtos básicos. Os analistas acreditam que isso é um ponto que deve ser cada vez mais valorizado para os investidores em um ano eleitoral e volátil. O preço-alvo em 12 meses é de R$ 27,00.

Para o banco, os ativos de celulose estão materialmente desvalorizados nesse novo cenário de celulose/real, contribuindo para algo entre R$ 3 e R$ 4 por ação em seu projeto Puma. Mesmo sendo 50% abaixo do esperado, os analistas acreditam que vale a pena.

Sobre o fim do pagamento de royalties aos controladores, pode trazer impactos positivos. Eles também avaliam como positivo o programa de investimentos da fabricante de papel e celulose.

O BTG espera que a Klabin apresente resultados fortes no terceiro trimestre, impulsionado principalmente pelo pouco impacto dos efeitos persistentes da greve dos caminhoneiros. O que vai ajudar a puxar o resultado são os preços globais de HW, que continuam muito resilientes no trimestre, a desvalorização do real, que encerrou o período em uma média de R$ 3,96 (quase 10% acima do trimestre anterior).

Além disso, o preço do kraftliner continua em alta. Assim, eles esperam que a Klabin deva entregar um EBITDA na ordem de R $ 1,2 bilhão, crescendo 59% na base anual.

Em julho, a Klabin divulgou que espera um resultado forte para o terceiro trimestre, impulsionada por altas de preços de celulose e em papéis para embalagens e ausência de paradas para manutenção de equipamentos, período em que iniciará debate para aprovação de seu conselho de administração para investimento em projeto de expansão.

A Klabin encerrou o segundo trimestre relação dívida líquida sobre lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) em dólar de 3,4 vezes. Em real, a alavancagem foi de 3,9 vezes.