BTG: Ação do Magazine Luiza está cara, mas você precisa ter

jul 18, 2018

Money Times - O BTG Pactual (SA:BPAC11) elevou o preço-alvo para as ações do Magazine Luiza (SA:MGLU3) de R$ 80 para R$ 142 e manteve a recomendação de compra, mostra um relatório enviado a clientes nesta quarta-feira (18). Os analistas Fabio Monteiro e Luiz Guanais reconhecem que os papéis não são uma pechincha, mas devido ao seu sólido momento, foco em níveis de serviços e seu DNA de tecnologia, a empresa está preparada para crescer em um patamar superior ao dos concorrentes.

Neste relatório, a equipe de analistas conta sobre a sua impressão de uma reunião com Decio Sonohara, Diretor de Logística, e sua equipe no principal Centro de Distribuição da empresa em Louveira (interior de São Paulo), com uma área de 100 mil metros quadrados. O executivo reforçou o foco na otimização de processos e na estrutura para suportar o crescimento em suas operações on-line e física.

“Essas duas operações estão totalmente integradas em uma plataforma omni-channel (multicanal) confiável e de sucesso, permitindo que a empresa mantenha a qualidade do serviço prestado aos consumidores em todos os canais e, assim, criando uma vantagem competitiva para ter sucesso nesse mercado. Com o desafio de fortalecer sua plataforma de atendimento à medida que o mercado ganha importância, vemos o Magazine bem posicionado para se beneficiar do crescimento secular do comércio eletrônico nos próximos anos”, apontam Monteiro e Guanais.

Empresa quer alavancar as funcionalidades tecnológicas desenvolvidas no Luizalabs para ganhar produtividade

O que vem por aí?

De acordo com Sonohara, a companhia mapeou os investimentos de logística necessários para os próximos três anos, o que inclui a oferta de uma plataforma com um desempenho suficiente para a sua operação marketplace de alto crescimento. Os participantes (sellers) tem duas opções: armazenagem compartilhada nos centros de distribuição ou um serviço de depósito completo.

A empresa também pretende reforçar a oferta de entrega “dentro de 2 dias”, aumentar o número de lojas que funcionam como centros de vendas (mini-hubs), fortalecer a solução “ship from store” e alavancar as funcionalidades tecnológicas desenvolvidas no Luizalabs para ganhar produtividade . Outra característica importante é a solução de aprendizado de máquina para prever antecipadamente a demanda do consumidor, mover os produtos mais rapidamente entre os Centros de Distribuição e reduzir o tempo de preparo.

Por Money Times