Braskem eleva preços de resinas em até 10% com valorização do dólar e do petróleo

out 04, 2018

A Braskem (SA:BRKM5), maior fabricante de resinas das Américas, anunciou um novo aumento de preços para o polietileno (PE) e para polipropileno (PP), com aplicação neste mês, publicou o jornal Valor Econômico nesta quinta-feira.

Os reajustes vão de 5% a 10%, ou R$ 300 para a tonelada de polietileno e de R$ 600 por tonelada de polipropileno, disse o jornal, que citou transformadores plásticos.

Os aumentos de preços em reais das principais resinas termoplásticas foram praticamente mensais em 2018, devido à valorização do dólar em relação ao real e o aumento do preço do petróleo. No ano, o petróleo Brent subiu 28% para cerca de US$ 85 o barril.

Tradicionalmente, a valorização do petróleo é refletida em um aumento no preços internacionais de derivativos e resinas petroquímicas. Desde o início do ano, segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), com base em relatórios de consultoria internacional, o aumento dos preços no mercado brasileiro atinge 28% no caso de polietileno de alta densidade (PEAD), 29% para PP e 36% em PVC.

A Abiplast estimou para 2018 um aumento anual esperado de 5% na produção de transformadores plásticos. No entanto, revisou sua projeção e agora estima crescimento de 2,5%, repetindo o desempenho do ano passado após os 20% de queda acumulada de 2014 a 2016. A expectativa é voltar a operar nos mesmos níveis de 2013 apenas em 2023

Para a Mirae Asset, notícia é positiva, mas já era esperada, já que seu produto é uma commodity e, portanto, tem a influência da cotação do dólar. A recomendação é pela manutenção, com preço-alvo em R$ 60,04.