Bitcoin sobe para US$ 7.000 com Barclays explorando criptomoedas

ago 07, 2018

O Bitcoin e outras criptomoedas ganhavam terreno nesta terça-feira com o bitcoin subindo acima de US$ 7.000.

O bitcoin subia 1,39%, recuperando-se e chegando à máxima de dois dias de US$ 7.081,90 na corretora Bitfinex às 09h10.

Criptomoedas estavam em ligeira alta de forma geral. A capitalização total de mercado das criptomoedas estava em US$ 256 bilhões no momento de redação desta matéria, o que se compara a US$ 253 bilhões na segunda-feira.

O Ethereum, segunda maior criptomoeda em termos de capitalização de mercado, avançava 0,44% para US$ 409,54 na corretora Bitfinex. O Ripple, terceira maior criptomoeda, caía 3,59% e era negociado a US$ 0,41177 enquanto o Litecoin era negociado a US$ 74,760, alta de 0,95%.

O banco britânico Barclays (LON:BARC) está explorando como pode negociar criptomoedas, segundo a Barron's.

Dois funcionários estão trabalhando em um projeto para integrar moedas virtuais nas operações de operações bancárias, de acordo com seus perfis do LinkedIn (NYSE:LNKD), informou a Barrons. No entanto, o Barclays disse à Coinbase que o banco não tem planos no momento de construir um balcão de moedas digitais.

Outras instituições financeiras também estão procurando usar criptomoedas e blockchain, a tecnologia por trás das moedas digitais. Na segunda-feira, foi divulgado que o Goldman Sachs (NYSE:GS) está explorando maneiras de oferecer custódia para fundos de criptomoedas.

Em outras notícias, o Arizona estabeleceu o primeiro ambiente de testes regulamentar para tecnologia financeira nos EUA na sexta-feira. Ambientes de testes regulamentares são frequentemente usados por startups e outras empresas para explorar inovações sob a supervisão dos reguladores.

“O (ambiente regulamentar de testes) FinTech Sandbox, do Arizona, proporciona um alívio muito necessário para os empreendedores, levantando algumas regulamentações e permitindo que produtos e serviços inovadores sejam testados ao vivo em um mercado limitado a um número limitado de consumidores”, afirmou um comunicado da Procuradoria Geral do Arizona.