Bitcoin permanece em território de baixa, outras criptomoedas caem

jul 12, 2018

O Bitcoin estava em baixa nesta quinta-feira, já que as criptomoedas permanecem no território do mercado em baixa.

O bitcoin era negociado a US$ 6.193,70, em baixa de 3,11%, na corretora Bitfinex às 09h33. A moeda digital tem lutado para ganhar terreno nos últimos meses, caindo quase 70% desde o pico de quase US$ 20.000 em dezembro.

Criptomoedas de forma geral permanecem na mínima de uma semana e meia. O valor total de mercado das criptomoedas também estava mais alto, com capitalização total de mercado em US$ 245 bilhões no momento de redação desta matéria, o que se compara a US$ 254 bilhões da terça-feira.

O Ethereum recuava 2,70% para US$ 432,79 na corretora Bitfinex. O Ripple, terceira maior criptomoeda, caía 3,29% e era negociado a US$ 0,43535 enquanto o Litecoin era negociado a US$ 76,752, queda de 4,26%.

Em notícias sobre regulamentação, o Departamento de Justiça dos EUA criou uma força-tarefa para combater a fraude do consumidor, incluindo a fraude em moeda digital. A Força-Tarefa sobre Integridade do Mercado e Fraude do Consumidor trabalhará para desencorajar os crimes e focar a proteção em idosos, militares e veteranos.

Em outras notícias, um funcionário público anônimo da Índia disse à Quartz que o país não proibirá completamente as moedas virtuais. O ministro das Finanças da Índia solicitou um estudo sobre criptomoedas. O funcionário disse à Quartz que as criptomoedas devem ser regulamentadas, já que as commodities provavelmente não serão proibidas. A maior preocupação é encontrar uma maneira de regulamentar o comércio de moedas digitais.

"Permitir isso como uma commodity pode nos permitir regulamentar melhor o comércio e, portanto, isso está sendo analisado", disse a fonte a Quartz.

“As negociações não são uma ofensa criminal. A maioria de nós negocia em várias classes de ativos no mercado de ações. Então, como isso [negociação de criptomoedas] é diferente? O que tem que ser implementado é um mecanismo para se ter certeza de que o dinheiro usado não é dinheiro ilegal, e rastrear sua fonte é a coisa mais importante”.