Bitcoin afunda; Goldman Sachs adia mesa de Criptomoedas

set 05, 2018

Criptomoedas estavam no vermelho na quarta-feira em meio a relatos de que o gigante financeiro Goldman Sachs (NYSE: GS) está recuando em seu plano para uma mesa de operações de Bitcoin.

Ao invés disso, a instituição financeira se concentrará em outros projetos, como custódia de moedas digitais em nome de clientes de grandes fundos, mas poderá avaliar uma mesa de negociação no futuro, informou a Business Insider.

O Goldman Sachs já participa dos futuros de bitcoin e dos contratos por diferença, permitindo que os investidores apostem no preço do bitcoin sem realmente possuí-lo.

À medida que as moedas alternativas aumentaram em popularidade, muitas empresas de Wall Street estão procurando maneiras de entrar nesse novo mercado. Mas com o bitcoin caindo quase 70% desde o pico de quase US$ 20.000 em dezembro, esse interesse está diminuindo.

A moeda caiu 5,05% para US$7.019,30 na (bolsa Bitfinex), as 9h23.

As criptomoedas em geral avançaram, com o valor de mercado da moeda de capitalização de mercado total de US$ 239 bilhões no momento da redação desta notícia, em comparação com US$ 235 bilhões na segunda-feira.

O Ethereum, a segunda maior moeda digital por capitalização no mercado, caia 11,46% para US$ 259,67, enquanto o XRP, a terceira maior moeda virtual, diminuia 11,16% para US$ 0,30437 e Litecoin estava em US$ 62.383, queda de 9,66%.

Em outras notícias, o governo iraniano concordou em reconhecer a mineração de moedas digitais como uma indústria. Espera-se que o Banco Central Iraniano elabore um esquema de políticas para criptomoedas nos próximos 18 dias. Embora a política final ainda não tenha sido anunciada, espera-se que o uso de moedas alternativas ajude a suavizar o comércio entre Teerã e seus parceiros na sequência de renovação das sanções dos EUA.

A Casa Branca impôs sanções visando a produção de petróleo do Irã que devem entrar em vigor em novembro. O Irã é o terceiro maior produtor de petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).