BB passa a oferecer fundos de outras gestoras para clientes Estilo

jul 19, 2018

Arena do Pavini - O Banco do Brasil (SA:BBAS3) (BB) vai oferecer a partir de hoje aos clientes do segmento de varejo de alta renda Estilo fundos de outros gestores que não a BB DTVM. A chamada “arquitetura aberta” começa com três gestores de fundos multimercados que estão sobrevivendo à turbulência dos mercados deste ano e que conseguiram um bom retorno no primeiro semestre. Os fundos escolhidos pelo banco para o lançamento são o Bahia AM Maraú, o Gávea Macro e o SPX Nimitz, das gestoras Bahia Asset Management, Gávea Investimentos, do ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, e SPX Capital, que tem como sócio o ex-diretor do BC Beny Parnes.

O fundo Gávea sofreu nos dois anos anteriores com uma estratégia pessimista com relação ao Brasil e com apostas na desvalorização da moeda chinesa, o yuan. Este ano, porém, o fundo está indo muito bem, ainda com uma visão negativa para o Brasil, que se concretizou a partir de maio, com a disparada do dólar e dos juros e a queda da bolsa após sinais de aumento nos juros nos EUA e incertezas na eleição presidencial brasileira. Já o SPXvem acertando suas apostas, também pessimistas, e seu estrategista, Rogério Xavier, ex-Banco Garantia e BBM, chamou a atenção recentemente com seu cenário que previa dólar acima de R$ 5,00. O gestor explicou que esse cenário era o mais pessimista, e não o mais provável, mas foi o que recebeu maior destaque no mercado.

É a primeira vez que clientes do segmento Estilo, com renda a partir de R$ 10 mil, terão acesso a fundos de outras casas. A iniciativa representa a ampliação da estratégia do banco, disponível para clientes private há mais de dez anos, diz o BB.

Para Paula Mazanék, gerente geral de investimentos e captação do BB, a abertura é uma forma de colocar uma gama ainda maior de opções de investimentos à disposição dos clientes, “O lançamento dos novos fundos confirma o nosso compromisso em oferecer opções de investimento em linha com as expectativas de nossos clientes investidores”, ressalta.

Para selecionar os gestores e seus respectivos fundos, a BB DTVM, líder da indústria nacional de fundos de investimento e carteiras administradas, analisou aspectos qualitativos de avaliação das equipes de gestão, conformidade e riscos dos gestores. Além do nível de volatilidade, histórico de rentabilidade e evolução do patrimônio líquido dos fundos, diz o banco em nota.

Por Arena do Pavini