Após abrir em alta, Telefônica recua com balanço em linha com o mercado

jul 25, 2018

Após um início positivo, as ações da Telefônica (SA:VIVT4) (Vivo) operam em queda de 0,64% a R$ 43,28, no começo da tarde desta quarta-feira na bolsa paulista. A companhia divulgou na parte da manhã o resultado do segundo trimestre do ano, com lucro líquido saltando 261% na base proforma para R$ 3,153 bilhões.

O desempenho se deu em função da melhora do resultado operacional e de efeitos extraordinários no período. Excluindo efeitos não recorrentes, o lucro líquido subiu 28,7% na comparação anual, beneficiado também pela melhora no resultado financeiro.

O resultado operacional medido pelo lucro ante de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado alcançou 5,183 bilhões de reais, alta de 46,9 por cento ano a ano, com margem Ebitda de 47,9 por cento. Já o Ebitda recorrente totalizou 3,73 bilhões de reais, crescimento de 5,8 por cento no ano a ano e margem de 34,5 por cento.

Em nota a clientes, a equipe do BTG Pactual (SA:BPAC11) destacou que o resultado veio em linha com o esperado, citando a desaceleração da receita no trimestre com ponto negativo, mas destacando que os custos seguem sob controle e que a reversão de R$ 1,8 bilhão referente a pagamentos de ICMS calculados sob a base de PIS/Cofins terá efeito no caixa no futuro, mas de imediato no lucro contábil, o que significa maiores dividendos esse ano.

Com o resultado, a XP Investimentos mantém a visão neutra nas ações da companhia, em razão da avaliação de que os serviços de qualidade superior da companhia já estarem refletidos nos preços das ações.

Para a Coinvalores, com o resultado dentro das estimativas, não são esperadas grandes reações das ações VIVT4 no pregão de hoje. Contudo, caso a administração da operadora indique que o montante revertido da provisão judicial possa ser distribuído aos acionistas na forma de proventos, os analistas acreditam que seus ativos poderão ficar no campo positivo em bolsa no curto prazo.