Agravamento de tensão comercial derruba ações da Vale e siderúrgicas

jul 19, 2018

Comum novo agravamento na tensão comercial entre Estados Unidos e União Europeia, as ações da Vale e das principais siderúrgicas brasileiras operam em queda na sessão desta quinta-feira na bolsa paulista. O presidente americano, Donald Trump, reiterou as ameaças de tarifar os automóveis europeus se não houver acordo que considere justo.

Diante disso, as ações da Usiminas (SA:USIM5) operam em queda de 3,21% a R$ 8,14, com as da Gerdau (SA:GGBR4) perdendo 2,83% a R$ 15,81. Para os ativos da CSN (SA:CSNA3), o dia é de desvalorização de 2,47% a R$ 7,89.

No caso da mineradora Vale (SA:VALE3), a jornada é de baixa de 2,31% a R$ 50,26, com Bradespar (SA:BRAP4) recuando 2,2% a R$ 29,34.

A comissária de Comércio da União Europeia disse na quinta-feira que espera que uma missão da UE a Washington alivie as disputas comerciais transatlânticas, mas que o bloco está preparando uma lista de importações norte-americanas para serem sobretaxadas caso os Estados Unidos imponham tarifas sobre automóveis europeus.

A comissária de Comércio, Cecilia Malmstrom , viajará a Washington em 25 de julho com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, com o objetivo de manter conversas centradas no comércio com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Os Estados Unidos impuseram tarifas sobre o aço e o alumínio da UE em 1º de junho e Trump está ameaçando estender tais tarifas aos carros e autopeças do bloco.

Malmstrom disse que o setor automotivo dos EUA é saudável e que ninguém envolvido no setor pediu tarifas.

A UE já impôs suas próprias tarifas de importação sobre 2,8 bilhões de euros em produtos norte-americanos, que variam de bourbon a motocicletas. As medidas correspondentes para a tarifas sobre os carros seriam muito mais altas.

Com Reuters.