Ações - Wall Street cai enquanto investidores digerem números do emprego

out 05, 2018

Wall Street enfrentava dificuldades em busca de direção nesta sexta-feira, quando o mercado considerou uma queda na taxa de desemprego nos EUA para um nível não visto desde 1969, mas também um aumento menor do que o esperado nas folhas de pagamento não-agrícolas.

O S&P 500 ficou praticamente estável, com queda de 0,85 ponto, ou 0,03%, para 2,900.76 a partir das 11h00 enquanto o Dow caía 7,68 pontos, ou 0,03%, para 26.619,80 pontos. O índice de tecnologia NASDAQ Composite estava em queda de 22,67 pontos, ou 0,29%, para 7.856,84.

A economia americana criou menos empregos do que o esperado em setembro, mas o desemprego atingiu uma baixa de 48 anos, indicando que a economia estava em pleno emprego. Enquanto isso, as expectativas para um aumento da taxa do Federal Reserve em dezembro subiram ligeiramente para 77,7%.

Após a divulgação dos dados, o rendimento do título norte-americano com vencimento em dez anos, tomado como referência subiu para 3,227%, um nível não visto desde 2011.

A empresa de maconha medicinal Tilray Inc (NASDAQ:TLRY) estava entre os principais ganhadores, subindo 4,63%, enquanto a Snap Inc. (NYSE:SNAP) subia 1,03% após um relatório em que seu CEO definiu meta de rentabilidade para 2019. Enquanto isso, a General Electric (NYSE:GE) ganhava 3,50% e o Facebook (NASDAQ:FB) subia 0,15%.

Por outro lado, Tesla (NASDAQ:TSLA) caía 4,59% após 3,49% depois que o CEO Elon Musk criticar a Comissão de Títulos e Câmbios dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês) em um tweet polêmico. Apple (NASDAQ:AAPL) caía 0,29%, enquanto a Costco (NASDAQ:COST) diminuiu 2,73%.

Na Europa, as bolsas estavam em baixa. O DAX da Alemanha caía 111 pontos, ou 0,91%, o CAC 40 da França recuava 42 pontos, ou 0,79% e o FTSE 100 de Londres estava em baixa de 78 pontos, ou 1,06%. Enquanto isso, o índice pan-europeu EURO STOXX 50 tinha queda de 21 pontos, ou 0,63%, enquanto o IBEX 35 da Espanha caía 51 pontos, ou 0,55%.

Com relação a commodities, contratos futuros de ouro avançavam 0,41% para US$ 1.206,50 a onça troy, ao passo que contratos futuros de petróleo dos EUA ficaram estáveis, em US$ 74,33 por barril. O índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, recuava 0,14% para 95,30.