Ações - Mercado futuro dos EUA em alta devido a negociações com a China

ago 21, 2018

O mercado futuro dos EUA estava em alta nesta terça-feira, já que a esperança de que os EUA e a China diminuam as hostilidades comerciais empurrava o S&P e a Nasdaq para perto de máximas históricas.

Os futuros do S&P 500 avançavam 5 pontos ou 0,18%, para 2.863,75 às 07h50 enquanto os futuros do Dow subiam 54 pontos, ou 0,21%, e marcavam 25.812,0. Enquanto isso, o índice de tecnologia de futuros do NASDAQ 100 avançava 20 pontos, ou 0,28%, para 7.407,75 pontos.

Autoridades dos EUA e da China devem se reunir em Washington na quarta e quinta-feira para discutirem divergências comerciais, pouco antes da última rodada de tarifas entrar em vigor.

No entanto, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse à Reuters que não espera muito progresso das negociações, diminuindo as expectativas de que um acordo será realizado antes do prazo final.

Quanto a resultados, alguns varejistas devem divulgar seus balanços antes da abertura, incluindo a Kohl's Corporation (NYSE:KSS) e a matriz da TJ Maxx, TJX Companies (NYSE:TJX).

As ações de tecnologia estavam entre as que tinham maiores ganhos antes do pregão com a Tesla (NASDAQ:TSLA) subindo 1,82% e o Facebook (NASDAQ:FB) avançando 0,23%. A empresa chinesa de comércio eletrônico Jd.Com Inc Adr (NASDAQ:JD) saltava 2,14% enquanto a Apple (NASDAQ:AAPL) tinha ganhos de 0,66%.

Por outro lado, Sodastream International Ltd (NASDAQ:SODA) recuava 0,35% enquanto Perrigo Co (NYSE:PRGO) caía 0,70%.

Na Europa, as bolsas estavam majoritariamente em baixa. O DAX da Alemanha subia 89 pontos ou 0,73%, o CAC 40 da França avançava 41 pontos ou 0,78% e o FTSE 100 de Londres tinha queda de 29 pontos ou 0,39%. Enquanto isso, o índice pan-europeu EURO STOXX 50 tinha alta de 23 pontos ou 0,69% enquanto o IBEX 35 da Espanha subia 102 pontos ou 1,08%.

Com relação a commodities, os contratos futuros de ouro avançavam 0,49% para US$ 1.200,40 a onça troy, ao passo que os contratos futuros de petróleo dos EUA estavam em alta de 0,03% e o barril era negociado a US$ 65,44. O índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, recuava 0,25% para 95,44.