Ações da Oi operam em queda com adiamento de Assembleia Geral Extraordinária

ago 16, 2018

Na jornada desta quinta-feira, as ações da Oi (SA:OIBR4) operam com desvalorização de 1,88% a R$ 3,13, após a companhia adiar para o dia 17 de setembro a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para deliberar sobre o aumento de capital previsto no plano de recuperação judicial da empresa, que estava agendada para o dia 3 de setembro.

De acordo com a companhia, o adiamento é para garantir aos acionistas tempo suficiente para avaliarem as novas matérias que serão colocadas em deliberação, como a eleição do presidente do conselho de administração.

Outro motivo é o ajuste nos itens da pauta da reunião, além da inclusão que foi feita de um subitem, para esclarecer que os acionistas poderão eleger o presidente do conselho de administração, dentre os candidatos integrantes da Chapa Consensual indicada para a composição.

O novo conselho de administração terá 11 membros, sendo os seis integrantes atuais e cinco nomes indicados por uma consultoria. Conforme previsto no plano de recuperação, os integrantes do colegiado devem ser independentes.

Resultado

A operadora de telefonia divulgou que teve prejuízo líquido de R$ 1,233 bilhão no segundo trimestre, queda de 70,4% ante o resultado negativo de R$ 4,162 bilhões referente ao mesmo período do ano passado.

Conforme a Oi, a receita líquida total no Brasil foi de R$ 5,49 bilhões, uma queda de 5,2% em relação ao mesmo período do ano passado, quando ficou em R$ 5,79 bilhões. No acumulado do primeiro semestre, a receita de R$ 11,2 bilhões recuou 6,5% ante o primeiro semestre de 2017