Ações - Contrastes em Wall Street devido a comentários de Trump

jul 20, 2018

Wall Street abriu com contrastes nesta sexta-feira uma vez que o presidente dos EUA, Donald Trump, criticou o Federal Reserve e ameaçou a China com novas tarifas.

O S&P 500 caía um ponto, ou 0,05%, e estava em 2.803,05 pontos às 10h43 enquanto o Dow Composite recuava 32 pontos, ou 0,13%, para 25.032,04 pontos. O índice de tecnologia NASDAQ Composite estava em alta de 12 pontos, ou 0,16%, e marcava 7.837,45 pontos.

Investidores foram abalados pela contínua retórica da guerra comercial.

Trump disse em uma entrevista à CNBC que ele está pronto para impor tarifas sobre o valor de US$ 500 bilhões em produtos chineses importados pelos EUA se a China não recuar em suas políticas comerciais.

"Eu não estou fazendo isso pela política, estou fazendo isso para fazer a coisa certa para o nosso país", disse ele ao "Squawk Box" da CNBC. "Nós fomos roubados pela China por um longo tempo".

Em outro comunicado, Trump criticou o Fed por aumentar as taxas de juros.

Microsoft (NASDAQ:MSFT) estava entre as empresas com maiores ganhos após a abertura, subindo 2,74% após ter divulgado resultados melhores do que o esperado. Honeywell International (NYSE:HON) estava em alta de 2,91% após seus relatório financeiro superar as projeções dos analistas, ao passo que eBay (NASDAQ:EBAY) avançava 1,50%.

General Electric (NYSE:GE) caía 2,80% apesar de seus resultados terem sido melhores do que esperado, Intel (NASDAQ:INTC) recuava 1,04% e a empresa de calçados Skechers (NYSE:SKX) despencava 26,30% após seus resultados e sua diretriz ficarem aquém das expectativas.

Na Europa, as bolsas estavam em baixa. O DAX da Alemanha caía 198 pontos ou 1,57%, o CAC 40 da França recuava 56 pontos ou 1,03% e o FTSE 100 de Londres estava em baixa de 31 pontos ou 0,41%. Enquanto isso, o índice pan-europeu EURO STOXX 50 tinha queda de 29 pontos ou 0,85% enquanto o IBEX 35 da Espanha caía 45 pontos ou 0,46%.

Com relação a commodities, os contratos futuros de ouro avançavam 0,46% para US$ 1.229,60, ao passo que os contratos futuros de petróleo dos EUA recuavam 0,06% para US$ 68,20 o barril. O índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, recuava 0,67% para 94,34.