Ações - Cautela no mercado futuro dos EUA antes de dados de inflação e de empregos

mai 10, 2018

Investing.com - O mercado futuro dos EUA apontava para uma abertura estável nesta quinta-feira, já que investidores aguardavam a mais recente leitura da inflação e seu impacto sobre os planos do Federal Reserve de endurecer gradualmente as taxas de juros neste ano.

O blue chip futuros do Dow ganhava 2 pontos, ou 0,01%, às 07h27, os futuros do S&P 500 subiam 3 pontos, ou 0,09%, enquanto o índice futuro de tecnologia Nasdaq 100 tinha alta de 10 pontos ou 0,14%.

O Departamento de Comércio publicará os números da inflação em abril às 09h30 desta quinta-feira. Analistas de mercado esperam que os preços ao consumidor tenham subido 0,3%, recuperando-se a partir da queda de 0,1% em março, ao passo que o núcleo da inflação tem projeção de aumento de 0,2%, o mesmo aumento do mês anterior.

Em base anual, as projeções para o núcleo do IPC são de aumento de 2,2%, um pouco mais do que o percentual de 2,1% registrado no mês precedente. O núcleo dos preços é visto pelo Federal Reserve como uma melhor aferição da pressão inflacionária de longo prazo porque exclui as categorias voláteis de alimentação e energia.

O aumento dos preços seria um catalisador para deixar o banco central norte-americano no caminho de elevar as taxas de juros em um ritmo mais rápido do que o esperado atualmente, já que os decisores da instituição procuram manter a inflação perto da meta de 2%.

Mercados apostam atualmente esperam que o próximo aumento da taxa de juros ocorra em junho com outro aumento na sequência em setembro, de acordo com o Monitor da Taxa da Reserva Federal do Investing.com. Apostas de um terceiro aumento, ou seja, um total de quatro aumentos em 2018, estavam em torno de 44%.

Além dos dados de inflação, investidores também estarão de olho nos pedidos semanais de seguro-desemprego, que serão divulgadas ao mesmo tempo.

Com relação a empresas, a temporada de resultados dos EUA continua a se acalmar. Até o final de quarta-feira, 449 empresas constituintes do S&P 500 divulgaram resultados com 77% delas superando estimativas de lucros e 74% ultrapassando o consenso sobre as vendas.

Os analistas de The Earnings Scout observaram fortes resultados do primeiro trimestre, com um crescimento de lucro até agora de 24,7% e um aumento de 9,3% nas receitas. Eles previram que irão melhorar ainda mais no segundo e terceiro trimestres. "O mais importante é que o crescimento acima da tendência deverá persistir até 2019", comentaram esses especialistas.

Entre empresas a serem observadas nesta quinta-feira, NVIDIA (NASDAQ:NVDA), News Corp (NASDAQ:NWSA)., Symantec (NASDAQ:SYMC), Dropbox (NASDAQ:DBX), e Yelp (NYSE:YELP) apresentarão seus balanços.

Enquanto isso, os preços do petróleo continuavam a subir nesta quinta-feira, atingindo outro pico de três anos e meio, já que as crescentes tensões geopolíticas entre Israel e o Irã geravam mais incertezas sobre problemas na oferta da região.

Contratos futuros de petróleo bruto nos EUA ganhavam 0,58%, atingindo US$ 71,55 às 07h28, enquanto o petróleo Brent tinha aumento de 0,22%, com o barril negociado a US$ 77,38.

Já na Europa, as principais bolsas do continente estavam majoritariamente em alta no início da tarde, com os bancos liderando o caminho após o Royal Bank of Scotland (LON:RBS) ter chegado a um acordo com o governo dos EUA em valores menores do que se esperava.

Além disso, no Reino Unido, investidores aguardam a decisão do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) sobre a taxa de juros às 08h00, com as expectativas do mercado agora em sua maior parte favoráveis à manutenção dos custos de crédito na taxa de 0,5%.

As apostas sobre as taxas de juros têm oscilado bastante desde o início de abril, quando os investidores precificavam uma chance de 90% de que BoE elevasse as taxas em 25 pontos base. Mas é quase certo que uma onda de dados econômicos fracos estará nas mãos do BoE, que pode agora lutar para convencer os investidores de que aumentará os custos dos empréstimos ainda neste ano.

Mark Carney, dirigente do BoE, participará de uma entrevista coletiva pouco depois do anúncio e investidores irão monitorar suas palavras na busca de sinais sobre qual é o apetite referente a aumentos de juros em 2018.

Mais cedo, na Ásia, os mercados na região fecharam em alta, impulsionados por forte liderança de Wall Street durante a noite. Isso aconteceu após dados que mostraram que a inflação das fábricas na China ganhou ritmo em abril, quebrando uma série de cinco meses de quedas, enquanto o índice de preços ao consumidor diminuiu.